quarta-feira, 5 de março de 2008

Da Capital do Império

Olá,

Os Obamaníacos estavam à espera que Terça-feira fosse o funeral da Hilária. Em vez disso o “Expresso Obama” embateu na muralha clintoniana formada pela brancalhada velha, feminina e operária e perdeu de forma contundente. O Obamessias foi reduzido outra vez à sua condição inicial de Obambi e vai ter que continuar a ter a audácia de vender esperança ao pessoal e ter esperança que o eleitorado acredite.
A Hilária não podia deixar de esconder a sua alegria no Ohio onde graças à brancalhada operária venceu folgadamente. E para chatear mais os Obamaniacos até troçou do Obama pondo o seu eleitorado a gritar “ Yes we will” (sim vamos) numa menção clara ao slogan de Obama “Yes we can” (sim podemos)
Isto depois de tal como prometido a campanha de Clinton ter começado a atirar com a loiça da cozinha ao Obama fazendo publicar fotografias do Obama com um turbante na cabeça e vestido de chefe Somali. O turbante era branco e as vestimentas encarnadas e brancas e eu quando vi a foto pela primeira vez pensei que fossem as vestimentas das aeromoças da Swiss Air.
Depois a Hilária pôs um anúncio com umas criancinhas a dormir e um telefone vermelho a tocar enquanto uma voz profunda dizia: “são três da manha. Quando o telefonar tocar na Casa Branca a anunciar uma crise quem é que quer que esteja no comando?”. A brancalhada velha, as mulheres e os operários pelos vistos apanharam um cagaço a imaginar um tipo de turbante e fato da Swiss Air a responder ao telefone na Casa Branca e deram o voto à Hilária.
Que contudo vai ter que atirar mais loiça ao Obambi para ver se este perde a figura de “cool kid” e começa a meter os pés pelas mãos a vender a “esperança e a mudança”.
É matematicamente impossível à Hilária ultrapassar Obama na contagem de delegados à convenção do Partido Democrático, pois mesmo nos poucos estados onde perde, Obama continua a obter boas percentagens eleitorais que são suficientes para manter a liderança.
A campanha eleitoral de Obama foi desde o início baseada na estratégia de vencer o maior número possível de pequenos e médios estados e garantir boas percentagens nos grandes estados como Califórnia, Nova Iorque, Nova Jersey, Ohio e Texas.
Ironicamente nos últimos dias Obama foi vítima do seu próprio sucesso. Se em Janeiro quando se iniciou a campanha poucos poderiam prever que Hillary Clinton estivesse hoje a lutar pela sua sobrevivência politica, as 12 vitórias seguidas antes de Terça-feira começaram a dar a Obama a aura de inevitabilidade com muitos dirigentes partidários a começarem a exortar Clinton a abandonar a corrida para bem do partido.
A sua derrota no Texas por margem mínima poderá com efeito ser vista como um extraordinário avanço eleitoral que contudo foi afogado no meio de cabeçalhos sobre “o regresso” da Hilária ou “o descarrilar do Expresso Obama” . Eu cá teria escolhido um cabeçalho mais Hollywood para a sua vitoria no Texas “Country for Old Woman”.
Tendo em conta a matemática para Clinton contudo a sua única possibilidade é apostar agora em ganhar folgadamente a Pensilvânia em 22 de Abril onde estão em jogo mais de 180 delegados para poder reivindicar que só ela tem a capacidade de garantir os grandes estados nas presidenciais de Novembro.
Sabe-se que a incapacidade de Obama ganhar nesses grandes estados e de ganhar entre a brancalhada operária é uma preocupação para os líderes do partido.
Os “super delegados” terão depois que decidir entre isso e o facto de que Obama provavelmente terá mais delegados à sua conta e muitos mais estados do seu lado.
A luta pelos super delegados (membros do congresso, governadores estaduais, líderes Democráticos estaduais, antigos presidentes e vice presidentes e os membros do Comité Nacional do Partido, enfim os “aparatchiks” do partido) ameaça pois tornar-se numa luta que poderá dividir o Partido Democrático par regozijo dos Republicanos. E meu, pois nada me entusiasma mais que eleições americanas com anúncios na televisão a dizerem mal uns dos outros e a meter cagaço ao pessoal.
Vai portanto haver porrada. Da grossa. A Hilária e o Bill estão a borrifar-se para a matemática e sentem–se com direito à presidência conjunta. O Obambi tem que começar a habituar-se a apanhar com a loiça da cozinha que a Hilária lhe vai lançar (como disse a sua campanha) no meio de sorrisos. Será talvez tempo do Obambi recrutar uns cães de fila para responderem do mesmo modo. As dezenas de milhões de dólares que ele continua a receber devem dar para isso.

Abraços,
Da capital do Império

Jota Esse Erre

3 comentários:

Anónimo disse...

Hello, JSR: Devia fazer um chat com os leitores do Blogue. Chat, ié, Pergunta e resposta bilateral, claro..Lá mais para diante, valeu? Simpes hipótese de trabalho para meditar e decidir, é evidente.
A primária de 22 de Abril vai ser decisiva,na Pensilvânia. Moverá 5 milhões de votantes para a escolha de 518 delegados. Dada a vantagem de Obama no número de delegados eleitos...Grandes comentadores yankees começam a salientar o alto grau de improbabilidade da escolha de Hillary como candidata. Há quem faça cálculos matemáticos, mas existe também pessoal, das élites do PD, que estão dispostos a travar um arriscado jogo sujo- a dicey game of chicken- para salvar o clan Clinton. O JSR é que tem tudo na mão...para nos poder esclarecer. Nós estamos na " velha " Europa, onde as fotos do Obambi no Kenya meteram muita impressão, bi-claro, até pareceu jogada de Contra-Informação telecomandada. Bom vento. FAR

Anónimo disse...

Adenda-I. Número de delegados e Superdelegados de cada candidato.
Até agora, depois de 4 Março.

1. Barack Obama: 1482( 1280 /
/202),respectivamente;

2. Hillary Clinton: 1390( 1149/
/240).

Moral da História: o Bill tem
ainda muito que destrocar($)e
convencer. FAR

Anónimo disse...

Hello, são 5 horas e 11 minutos. Não são insónias, não. Hoje, levantámo-nos cedo, cá em casa, por causa do sr. técnico dos telefones.E eu lá fui para a Net.

As contagens são objecto de uma grande polémica( surda) entre o The New York Times e a fortíssima Associated Press. Vejam as diferenças:

NY Times: Obama 1457 delegados eleitos, com 157 Super, H. Clinton:
1370, e com 190 Superdelegados eleitos.

A. Press: Obama:1567 com 200 S.Deleg; H. Clinton: 1462 com 242 SD eleitos.

Vai um cafézino? Bom dia! FAR