terça-feira, 11 de março de 2008

Allan David Bloom: A poesia é indispensável

“A poesia é indispensável aos homens. Mas o tipo de poesia que irriga a sua alma estabelece a diferença radical entre as formas de compreensão da vida, que, ela, nada possui de poético. Sócrates esboçou um novo género de poesia, que o conduz para lá de si mesmo, que não reduz a alternativa a uma escolha entre o trágico e o cómico, e que apoia a vida filosófica. Sócrates oferece o princípio que Aristóteles desenvolverá na Poética, e que ilustra as obras de um Dante ou de um Shakespeare. Trata-se sempre de poesia, mas de uma poesia que brilha e emite signos para lá dela própria.”

“Na análise que propõe da inteligência homérica, a primeira etape de Sócrates consiste em determinar a natureza de um poema. Um poema, afirma-o, tal como uma pintura, possui um modo de existência bastante singular. Representa outros seres particulares que, por seu turno, não devem o seu ser senão à participação num ser singular, e subsistindo por si-próprios. A Poesia depende do mundo que nos envolve; ela não realiza os seus objectos, e a sua força é proporcional à profundidade com que os envolve”.

In “The Republic of Plato”, Basic Books, N.York

FAR

3 comentários:

Anónimo disse...

Por onde anda o Maturino Galvão? Li no Pratinho de Couratos que tem problemas com a Internete!!!Não será possível arranjar malta paa o ajudar a resolver tais dificuldades?!? Fica aqui este apelo. Há várias semanas, vai fazer um mês, que tem a voz silenciada. Isso não pode ser!!! Vamos tentar resolver isto, de imediato? Os que estão em Lisboa deviam intervir, claro!. Até breve. FAR

Armando Rocheteau disse...

O Maturino está sem net. Em breve terão mais notícias e, esperemos, Sinais.
Infelizmente a solidariedade lusa nada resolve nestes casos. É verdade que uma cunha na administração, outra no engº e ainda uma última nos técnicos do cabo, ajudava. Desaconselho a manifestação.

Anónimo disse...

Hoje não há pratinho de couratos.
Amanhã não sabemos.
Daremos sinais.