domingo, 3 de fevereiro de 2008

“Pode-se chegar à luta armada face a Sarkozy?”

Sarko casou com Carla Bruni, a modelo e hiper-rica herdeira italiana adepta da poligamia mais infernal. Como se supunha, casaram no mais recatado segredo no Palácio presidencial, pelas 11 da manhã de ontem. O magnífico Libé dedica-lhe várias crónicas e um dossier On-Line. Patrick Rambaud, um dos fundadores da revista Actuel, marcou um diálogo-Net com os leitores do seu livro sobre Nicolas 1.er, publicado na Grasset. Trata-se de uma peça fundamental: a hipótese de uma passagem do Rubicão - luta armada - é posta em exame, como era curial e inteligente pensar…

Rambaud vai direito ao mais profundo. Questionado se o reinado de Sarko pode vir a acabar mal, ele
diz que, para “o povão, claramente que sim”. “É preciso que os protestos se unifiquem”, como fonte de preparer a Revolução, advoga. Maquiavélico e abrasivo aponta: “Ele está sempre a recuar à medida que as suas reformas reaccionárias avançam (…), Sarko e Chirac são mais parecidos do que parecem…”.

“Quais são as fontes de inspiração de Sarko”, questiona um leitor. Resposta pronta de Rambaud: “A sua conta no banco”. Paralelamente, recorda a hipótese de Plantu, o cartonista do Le Monde, que entre
Napoleão e Luís XIV todas as caricaturas lhe “assentam como uma luva. Podemos disfarçá-lo de tudo, isso funciona sempre ...”

Como Carla Bruni é conhecida pela sua volubilidade, “o amor e a vida de casal não me calmam”, Rambaud responde à hipótese de Carla “quebrar” o coração do PR francês, e diz sem hesitar: “Se Carla o deixar, ele pode vir a ficar louco. Isso é possível. Por agora, ele tem 15 anos e picos e nesssa idade tudo é possível”. “Sim, para Carla só o sexo é agradável…”

FAR

3 comentários:

Anónimo disse...

Esta é de mestre, FAR. J.F.

Táxi Pluvioso disse...

Ai estou cheio de medo os intelectuais falam de armas. Trocaram a nicotina e a cafeína pela pólvora. Vem aí a revolução. Tretas dos entrincheirados no pasquim em que se tornou o Libération. Nunca foi grande coisa, (excepto meia dúzia de números que publicaram os comunicados do Rote Armee Fraktion), mas agora pensam como colunistas que não foram convidados para o copo de água.

"Ser atacado pelo inimigo é uma coisa boa e não um coisa má" - Mao regressa que La Chinoise voltou aos ecrãs...

Anónimo disse...

O Mister Táxi Pluvioso continua a enganar-se, e muito. Baudrillard, Lefort e o grande correspondente nos EUA, Philipe. Lançon, contribuiram na terceira fase( July) para fazer do jornal fundado por J-P Sartre, um dos mais fantásticos do Universo. Oh, TP, você até parece que, sem o saber nem querer, está a fazer o jogo- repressivo e pestilento- de Sarko e seus esbirros. Tenha cuidado, portanto, valeu? Não gosto de o ver nessa situação, certo?.Salut! FAR