sábado, 16 de fevereiro de 2008

Allegro giocoso II

Armando, Webmaster Flash:

Pois, conforta-me saber que comungas das minhas preocupações quanto aos problemas que podem resultar da irreverência do Alegria. Ele é bom rapaz, sofre, porém, da síndrome das Meninas da Rádio - pões-lhe um microfone à frente...e ele canta, canta, canta. Não estranhará que tenha titulado um dos seus livrinhos, de 1998, de...ROUXINOL do MUNDO. Não fosse tão lusitano e teria partido em digressão por uma, duas, três galáxias.
Admito que a sua voz de cançonetista rebarbado, género muito em voga nos comícios cubanos patrocinados por uma marca de brilhantina, de que não me ocorre o nome, não seja maçadora por aí além.
Quem nunca se divertiu, ou deu algumas risadas, com o tronitruante diseur, um vero Pai Coragem, clamando muito republicano, suficientemente laico e algo socialista: Pergunto ao vento que passa, quando é que se janta?

Pois, a questão é que debaixo da imensa capa do poeta-espadachim, sussurando discretos por detrás da voz carbonária do Alegria, acomodam-se conjurados os hóspedes do albergue espanhol “Lo Pomposo”. Vejamos, então, de que varas se faz a canoa socialista do Alegria.
O Cravinho e o Ferrinho, comunistas sucessivamente extraviados ao ritmo dos Pogroms internos, comunistas alternadamente contentes e descontentes, a brigada do reumático do Bernardino, os herdeiros de Zenha, os parentes do Manel Serra, a maioria dos poetas não-publicados, o Grupo Onomástico “Os Rogérios”, o subgrupo “Os Jerónimos”, a Associação dos Indivíduos de Apelido Cunha ou Cunhal, os Cidadãos Motorizados, os Amigos dos Hospitais, os cidadãos pedonais, os tanoeiros, calceteiros e cardadores da Zona Centro, os almocreves do Minho e os mixordeiros do Sul e Ilhas. Todas as organizações ambientalistas de Condeixa. HipHop do Mondego e assaltantes de Vila da Feira.
Um gajo que costuma estar parado à esquina da Rua dos Douradores, as cabras velhas de Fânzeres, a família mais chegada, os imigrantes portugueses em Palermo. E mais os leninistas de Santa Comba Dão, a associação dos comerciantes aggiornatos “O Ábaco”, pequenos marinheiros e grandes idiotas. Corruptos em liberdade eo bastonário Márinho Pinto. A Associação Nacional de Tascas e os Vinhos Camelo Alves.
Atenção também aos apoios internacionais expressos do Alegria, em que avulta o Partido Socialista do Vaticano, e os mais envergonhados, o PCUS, Berlusconi e o malogrado presidente do Equador “El Loco”, e, quem diria, o Marques Mendes- agente albanês inflitrado que chegou a desempenhar o cargo de presidente do PSD. E mais Kim Il-sung, o senhor Proudhon, o Koba, entre os menos vivos, e Chávez, Morales e George Bush, entre os mais vivos.

Cuidado que os gajos têm dinheiro.São apoiados pela família Suharto, diz que dois para um o dízimo dos evangélicos e 4/5 das sobras no franchise de livrarias “Ler Poesia, é dar de comer ao Alegria”.

Ah! Canalha, que vou-me ele!

JPS

1 comentário:

FernandoRebelo disse...

O mais preocupante é que a voz seja dada ao «eu seja ceguinho...».
E desesperante é que mais à Esquerda, tudo seja pior, pior ainda...

Se a verdadeira Esquerda tiver memória, ainda tudo se baseia em afirmar a pés juntos: «eu não estive lá» ou «era muito novo para isso..».
O Alegre esteve lá, depois não, depois esteve, depois não, depois nem sequer se deu por ele, depois resolveu estar, mas não o deixaram, agora anda a querer estar.
Não há paciência para esta gente. Ora está, ora não está...
O Telmo ( do 'Frei Luís de Sousa'), pelo menos tenta...