terça-feira, 22 de abril de 2008

Itália: Berlusconi refém de Umberto Bossi

A vida política italiana continua a deixar estupefactos todos os burocratas e politólogos do Mundo. A formação do novo Governo por Berlusconi tem dado água pela barba ao tycoon dos Médias & Cias privados. O líder nortista, Umberto Bossi, bate o pé e reclama bons Ministérios, conforme relata Guy Dinmore no F. Times, num artigo aprofundado sobre o fundador da Liga do Norte. Berlu precisa dos votos de Bossi para confortar a sua maioria política nas duas câmaras. E Bossi com laivos de condottieri e aventureiro, está a subir a parada. Daí a " lentidão " aparente do anúncio do novo elenco ministerial.

A paisagem política italiana post-eleitoral é um campo de ruínas. O Partido Democrático não conseguiu impedir o efeito das mirabolantes promessas de última hora de Berlusconi. A extrema-esquerda, os comunistas desemparelhados e os ecologistas não sabem o que podem fazer de imediato. Porque a soma aritmética dos votos do PDL e da Liga do Norte mais os da post-fascista Aliança Nacional dão pelos efeitos de uma lei eleitoral perversa uma confortável maioria ao bloco de Centro-Direita.

Guy Dinmore perspectiva o ponto e o ómega da posição-chave do fundador da Liga do Norte, ou Lombardia, no intricado xadrez do espaço política da direita italiana. Bossi, cinco anos mais novo do que Berlusconi, é o irmão-fratricida do neo-PM italiano indigitado. Dotado de grande temperamento e muito conhecido pelas suas rábulas públicas de alta intensidade, Bossi foi na juventude companheiro equivocado do PCI. Várias vezes se incompatibilizou com Berlusconi, o que custou o poder a Berlu em 1996. E agora criticou a manif da vitória- " não serve para nada "-, regressou a casa e nega-se a discutir com a Aliança Nacional a divisão das cadeiras do poder…Representa 10,4 por cento dos votos da coligação vencedora, o que lhe dá uma posição-chave essencial.

Bossi assume-se como o campeão da italianidade, xenófobo e irascível para com a emigração clandestina e a fraqueza do Estado central. Tem o arroubo de chamar de " ladrões " os poderes de Roma e diz que a Máfia controla a cobrança dos impostos no Sul…Na Lombardia, a Liga do Norte multiplicou o seu poder nos últimos trinta anos e conquistou mais de 200 autarquias. A juntar ao poder económico das PME, o sonho de cisão incarnado pelo Bossi dos bons velhos tempos, esfuma-se, contudo. É que, o líder nortista, teve um grave problema de saúde há dois anos e ia perdendo a voz. E sem voz para arregimentar as multidões, a Liga do Norte ficava sem dono…e sem bússola mediático-histriónica.

FAR

1 comentário:

Anónimo disse...

Ora, ora, corre-corre, cabecinha pensadora. Faltou-me chamar a atenção para os traços comuns entre as personalidades de Bossi e as do " rei " da Madeira. Só que Bossi, apesar de católico radical, não se coibe de criticar os representantes da Santa Madre Igreja, se os seus interesses políticos, assim o determinarem. É certo que os " esbirros " do reizinho da Pérola do Atlântico fartaram-se de bater e injuriar o padre Martins, de Machico, que deixou a UDP para se acoitar no PS...Lembram-se?!? FAR