domingo, 20 de abril de 2008

Da Capital do Império

Olá!

O Obambi vai apanhar uma sova nas primárias da Pennsylvania na Terça Feira. Isso é quase que garantido, pelo que vocês para saberem as implicações disso, devem concentrar-se no tamanho da sova.
Se a Hilária ganhar por dez por cento ou mais a guerra dentro do Partido Democrático vai intensificar-se como nunca até agora pois a Hilaria passa a ter a possibilidade de ultrapassar o Obambi na votação popular o que é a sua unica chance de levar os “super delegados” a votarem por si na convenção e ultrapassar assim o número de delegados do Obambi . Se ganhar por entre cinco e dez por cento a Hilária vai apregoar ao mundo que a sua vitoria demonstra que é ela quem consegue ganhar à vontade nos grandes estados pelo que os super delegados devem votar nela
Contudo qualquer que seja o tamanho da sova os Billary (a Hilária e o Bill) vão proclamar aos quatro ventos que o Obambi não consegue ganhar nada. Depois de terem tentado afirmar que o Obambi só ganhava em alguns estados porque é preto agora os Billary vão dizer que o Obambi não consegue ganhar porque a brancalhada proletária não gosta dele. Ou seja: o Obambi ganha em alguns locais porque é preto e perde noutros porque é preto. É a lógica clintoniana.
E claro está o Obambi ajudou quando foi a São Francisco falar a doadores financeiros à sua campanha e disse que não estava admirado pelo facto da classe operária na Pennsylvania ser “amarga” devido à sua situação económica sendo devido a essa “amargura” que “se agarra à sua religião, às suas armas, aos seus sentimentos anti imigrantes”. Fez –me lembrar “Die Religion is das Opium des Volkes” (Lembram-se?). O que pode ainda ser uma tema para um excelente debate de café ou de filosofia numa universidade ou nas páginas de um jornal mais literário mas que para mal do Obambi foi aqui visto como uma demonstração óbvia de uma certa condescendencia senão mesmo menosprezo que uma certa esquerda tem por valores e crenças que não são os seus.
E quando esses valores e crenças são aqueles de uma classe trabalhadora que ele quer ganhar para o seu lado o seu divagar pelos campos da filosofia e psicologia de massas baratas não caiu nada bem. Sendo as eleições presidenciais americanas algo que é decidido mais pela imagem e por asneiras que os candidatos dizem e menos pelo conteúdo dos seus programas (que face ao sistema americano não passam de promessas e nada mais do que isso) o Obambi teve a sua figura “cool” de “gajo da malta” acima de raça, classe etc etc muito abalada. Tornou-se subitamente naquilo que ele é e tenta declarar que não é: um politico da velha escola que diz uma coisa em público e outra em privado..
A Hilária entrou de imediato em método clintoniano “full time” fazendo discursos a lembrar como o seu pai lhe tinha ensinado a disparar uma espigarda no quintal (!!!) e como ela tinha sido educada na boa tradição da Igreja Metodista que, segundo disse, lhe tinha dado apoio nos tempos difíceis da sua vida. A religião, disse ela, não é algo a que os eleitores da Pennsylvania se agarram por estarem ‘amargos” mas é sim parte da sua cultura e modo de ser. “Não sei se o Barack é elitista mas suas declaração são, demonstando uma falta de conexão com os valores do povo americano,” disse ela em tom beatífico. E depois a colmatar esta ofensiva tipo clintoniano a Hilária, rodeada de camaras de televisao foi a um bar “proleta” na Pensilvania e com o maralhal que lá se encontrava bebeu umas cervejas e um copos de Whisky (num só golo) tal como fazem os proletas da zona.
Eu nunca gostei dessa mistura particularmente desde que uma vez na Dinamarca apanhei um “pifo” de cerveja e schnaps, o equivalente da cerveja e whisky dos proletas da Pennsylvania. Mas apanhei uma ressaca muito maior depois de ver a Hilária na televisão a tentar ser populista à custa do “elitismo” (como ela lhe chamou) do Obambi. Ia vomitando e fiquei a arrotar cerveja e whyski durante dias mesmo sem ter bebido a mistela (prefiro vinho da Califórnia)
Uma coisa é certa. Qualquer que seja o tamanho da vitoria da Hilária nas eleições de Terça feira ela não se vai embora. E uma semana após a Pennsylvania ela volta provavelemente a ganhar no Indiana embora deva apanhar um exugo de porrada na Carolina do Norte embora ai o Obambi ganhe porque … é preto. A Hilária está a tornar-se no Robert Mugabe do Partido Democrático. Por muito que muitos queiram não se vai embora. Tal como o Mugabe ela pensa que tem o direito à presidencia e que o povo lhe deve isso.
Abraços.
Da Capital do Império,

Jota Esse Erre

1 comentário:

Anónimo disse...

Por cá já poucos ligam a essa coisa
de eleições. Sobretudo na América.
JotaEsseErre, vira-lhes os cú e
manda-os foder. Fala-nos de gajas,
musica e vinhaça. Enche a barriga
e vaza os colhões. É o melhor da
vidinha!