sexta-feira, 11 de abril de 2008

Estórias natalícias

Era um menino especialista em criar Natais a destempo. Bastava apetecer-lhe que fosse Natal e era. Depois fazia o que fazem todos os meninos no Natal: mostrava ou falava do presente que lhe fora dado.
Em cada ano criava um, dois, muitos Natais.
Era vê-lo, de riso aberto, desembrulhando a novidade e anunciando-a 'urbi et orbi'.
Anos houve em que tinha dificuldade em inventar Natais, mas ele era um menino cheio de recursos: criava uma festa de anos ( que, como qualquer menino ou menina sabe, é uma forma de receber presentes tão legítima como no dia de Natal...) e, nessa festa, preparava sábia e antecipadamente o próximo Natal.

Nós ouvíamos a gargalhada claramente e sabíamos que dali a algum tempo seria Natal.

Sem comentários: