segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Série: música boa como o c... (4)

Milton Nascimento e James Taylor interpretam "Vendedor de Sonhos".

A auto-censura no título é uma Praktische Umsicht a uma objecção levantada, sobre o carácter auto-anulante do título em nexo com si mesmo. Assim, na melhor tradição da Ontologia heideggariana, mudamos o referêncial, mudamos a realidade mesma.

5 comentários:

Patrícia Carvalho disse...

Olá! Tudo bem? Sou Patricia, e novata no mundo dos blogs!
Acabei de montar o meu, e estou pesquisando blogs interessantes... Gostei muito do seu, posso divulgá-lo em minha lista de favoritos?
Inté mais!
Pati
http://ealemdisso.blogspot.com

Tárique disse...

A música tá muito boa. Conheces Chico Lobo, mineiro?

Táxi Pluvioso disse...

A descoberta da finitude da Existência é apenas o primeiro passo da Ontologia heideggariana. Agora falta aquilo que torna possível todas as existências. O ser enquanto ser, pode estar no céu, como Santo Anselmo, ou no espaço formal, como Husserl, ou no Nigth and Day, como everybody... Take your pick.

Ana Cristina Leonardo disse...

E eu que pensava que só o Allen é que fazia piadas com filosofia lá dentro...

Armando Rocheteau disse...

Patrícia link à vontade. Já deixei um comentário no seu blog. Obrigado pela visita e pelo seu comentário