segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Dupond e Dupont


O mais curioso nos debates parlamentares desde o final do guterrismo é o facto de o principal, talvez até o único argumento que PS e PSD utilizam é o de "o nosso governo estar a fazer o que o governo anterior não foi capaz de fazer". Este argumento é a confissão pública de que o programa dos dois partidos é exactamente o mesmo, e o que os distinguirá é a "competência técnica". Mas se são partidos gémeos, verdadeiros Dupond e Dupont, para que servirá existirem dois, em vez de apenas um? Ah, já me esquecia: é a alternância democrática...

2 comentários:

Tárique disse...

... a saudável alternância democrática!
O modelo de democracia ocidental não serve para dar poder às pessoas de decidir mas sim como uma espécie de "controlo de qualidade". Isto foi admitido na recente campanha eleitoral na Dinamarca - os dois partidos do centro admitiram que tinham o mesmo programa, que era só uma questão de quem o implementaria melhor. Na Alemanha e Holanda, os partidos do centro governam em coligação.

zemari@ disse...

Vai desculpar-me, mas centro de quê?
Entre a extremíssima-direita e a esquerda?

Acho que é uma clarificação importante, porque doutro modo estamos a tratá-los com paninhos quentes, o que lhes agrada muito.

Parece-me que é por estas e por outras, que esse tal "centro" fez, no nosso caso, com que o País, que há 35 anos era pequeno, pobre e analfabeto, desse realmente uma volta de 180 graus e agora seja pequeno, pobre e iletrado.