quinta-feira, 6 de setembro de 2007

A Democracia e a democracia, segundo o sábio balagueriano

«Não há transformação social progressista que não implique uma certa dose de violência», escrevi eu. O beato-mor da blogosfera, a propósito deste post, entende qualificar esta ideia de "repugnante".
É curioso constatar que o beato-mor é selectivo na sua "repugnância" perante as "doses de violência" suficientes. Por exemplo, como se nota, ao beato-mor não lhe "repugna" nada as "doses de violência" do Chile de Pinochet. A "violência", como sabem todos os beatos, é selectiva, e poderá ser justificada aos olhos de Deus, desde que contra os comunistas, e restantes blasfémicos desafiadores da Ordem estabelecida por sua Santissima Trindade. Tudo o resto deve-se reger pelas boas normas Democráticas, já que a Democracia é, não a vonatde do povo (ponham-lhe um "p" pequeno por favor), mas o natural equilibrio das instituições criadas pela natural ordem das vontades todas, sejam elas mais, ou menos, as vontades dos que sempre foram detentores do privilégio da Vontade (alto lá! que isto é demasiado Nietzscheano! E esse é um Anti-Cristo! E é por causa desses espíritos caóticos que vivemos no caos da imperfeição, do desvio, do crime...).
A violência, como sabe o beato-mor, é um privilégio dos sábios. Justifica-se para correr com governos "comunistas", no Chile ou na Venezuela, já que os sábios sabem que esses governos democraticamente eleitos não são verdadeiras democracias, ou não seja a Democracia, desde Péricles, o governo dos que mais sabem. Não se justificará nunca qualquer tipo de violência, como é lógico, e resulta do axioma antes demonstrado, quando realizada contra as instituições democráticas. Se isto pode parecer um paradoxo, será apenas porque o vulgo comum é incapaz de entender a mente iluminada dos sábios.

2 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

Apenas a violência policial é legítima porque eles velam, dia e noite, manhã e lusco-fusco, assim na terra como no asfalto, para que possamos consumir em segurança:

www.youtube.com/watch?v=eY6arGMDk14

E interregno para rejubilar:
Pavarotti morreu. Precisam-se de homens caparrudos para carregar o caixão.

Anónimo disse...

ó andré essa de demonstrar axiomas....