sexta-feira, 14 de setembro de 2007

O Outono

O Outono chega sempre na mesma altura
celebram as aldeias
Parto para esses sítios
onde irei rejeitar
todas as manhãs
os convites de alguns caçadores
os seus pássaros estilhaçados
-- Vai chover!
Tão inesperadamente
como o apito de um navio
Já nem sabia como era
nem
dos sinais que permanecem
por quantas gerações numerosas e dispersas
O azul é outro
andam as estrelas cintilantes pelos seus ardentes
(milhões de anos
O Outono chega sempre


Mário Machado Fraião

Sem comentários: