sábado, 1 de dezembro de 2007

Putin: mandar como Estaline e viver como Abramovitch!

As legislativas russas, primeira volta indirecta das Presidenciais de Março próximo, desenrolam-se hoje. Os observadores internacionais mostram-se muito cépticos sobre a " pureza " dos processos eleitorais " usados " pela clique de Putin. As incógnitas sobre o que se irá desenrolar no assimétrico tabuleiro político russo, são mais que muitas. A grande imprensa mundial tem alertado para as violações ao código eleitoral induzido pela OPCE, de uma forma branda. A vitória de Putin parece ser irremediável. Um grave incidente ocorreu na última semana com a prisão de Garry Kasparov, que desencadeou uma forte pressão dos EUA, da União Europeia e de vários governos do Oeste. A manipulação político-partidária conduzida pelo partido do manda-chuva do Kremlin, a Rússia Unida, atingiu foros de escandalosa perversidade e alto cientismo. Kasparov tenta implementar os processos da Revolução " Laranja ", que tanto sucesso imediato deram na Ucrânia e na Geórgia, apesar de tudo. Mas isso não chega e foi preso durante cinco dias.
O grau de popularidade de Putin tem ultrapassado todas as vicissitudes: a destruição do consórcio petrolífero Youkos, com prisão siberiana para Khodorowski; a mão-baixa sobre os impérios siderúrgicos e de diamantes, com o afastamento compulsivo das direcções em exercício modernizador; tudo foi feito pelo " núcleo duro " do Kremlin para controlar a economia...e o poder.
"Never before in Russian history have so few exercised such tight control over a national wealth that is so vast and liquid, in more ways than one. The stakes of relinquishing power have grown commensuralety for Putin. If he becomes prime minister, a vast network of informal arrangements that made the president and his entourage the managers of Russia most lucrative natural ressources will have to be dismantled- redirected away from the Kremlin and toward the prime minister ", escrevia no final de Outubro passado, no NY Times, Leon Aron, especialista de Estudos Russos no American Enterprise Institute de Washington.
Ora, para se efectivar essa gigantesca troca de poder e influência nos sectores vitais da economia e sociedade russa, caso Putin venha a assumir a pele de líder partidário, o novo Czar teve a ousadia de alcunhar de " chacais ", epíteto que "comoveu a opinião pública mundial, os homens que o indicaram a Eltsin como provável sucessor, nos finais dos anos 90. E desencadeou nos ultimos dias da campanha uma catalinária ensurdecedora contra Anatoly Chubais, Boris Nemtsov, Igor Gaidar, entre outros, acusando-os de terem sido eles os responsáveis pelo antigo descalabro económico e social da Rússia.
O Wall Street Journal apelidou tal denúncia de "pequena novidade", apesar de destacar que " Poutin acrescentou uma nova aleivosia acusando os liberais de trabalharem para potências estrangeiras e traírem a pátria, exprimindo a pena de os ver ainda enquadrados na realidade russa". "The institution that dominates Russian society today is the KremlinŽs " vertical of power" - a combination of formal and informal controls and curbs which is rather different from the checs and balances in democratic states. This vertical of power has President Putin at the top. It extends not only to the federal government and United Russia party, but also to other parties, regional and local governments, big business, civil society and mass media".
O mais maquiavélico é que, segundo o Financial Times divulgou há dias, Putin anda a tentar lançar um programa de modernização estrutural da indústria russa, com objectivos apontados até 2025, onde tenta aliciar o que resta da administração liberal da malha industrial do seu país e a fomentar fortes incentivos, a posteriori, para os grandes conglomerados internacionais, de diversas nacionalidades e forte motivação capitalista.

FAR

2 comentários:

Anónimo disse...

Mudei de computador e não tenho ainda ligação à Internete, o que faz que me diriga a um Posto Público para postar. A prisão de Kasparov chocou-me-releiam, please- imenso.O Putin e a sua clique, como diria Etienne de La Boètie, tem a estatura quase definitiva de um Tirano. O que é terrível: o que vai ser da Rússia, da Europa e do Mundo? O que vai acontecer à China?
Tudo questões maganas de imenso impacto geopolítico universal. Isso é que conta.
Como escrevo Contra- Relógio( $), só agora disponiilizo três grandes artigos sobre a Rússia de Poutine.
1). Neil Buckley, Financial Times de 15 de Novembro pp. Artigo fabuloso que nos explica como " os antigos polícias do KGB no poder fazem os impossíveis para tirar proveito do preço do ouro negro. Mas ao mesmo tempo vão-se-lhe deparar situações economico-políticas que fariam alterar a inteligência de qualquer Prémio Nobel...". Procurem, comprem ou piquem, please. Fala de uma Bonanza para o sector da Construção Civil Mundial, por causa do plano de investimentos que o novo Czar quer fazer...com a ajuda do Ocidente e dos neo-neo-capitalistas...

2) Artigo de Brook Horowitz, do Forum International Busieness Leaders da Rússia, " Big Bucks, bad Business", NY Times, Opinion,finais de Novembro. A falta de legitimidade democrática do poder político gera impasses no desenvolvimento económico global russo. Com toda a série de blocaens e mistérios para fomentar a corrupção e criminalidade, claro.

3)" Day of the " Jackals ", de Andreas Umland, W Street Journal, Edição Fim de Semana, de 30 de Novembro a 2 de Dezembro 2007. O autor é prof na Uni de Kiev e tem livros de Ensaios sobre a Política e a Sociedade Russas publicados na Alemanha.Bom artigo e retrata o perfil trabalhado de refinado tirano de Putin...

Portanto, só condicionalismos técnicos me impedem de ...escrever coisas como deve ser. Salut! FAR

Anónimo disse...

Os meus mais sinceros votos para que o Putin experimente na pele aquilo que tem feito contra o povo tchetcheno, e que alguma alma caridosa tenha uma bomba para ele, e para toda a nova nomenclatura fascista e capitalista primária que governa a Rússia em memória da Anna Polikovskaia, e dos 220 jornalistas russos assassinados desde 1991. Cobardes. O que se passa na Rússia é inarrável. Um fascismo capitalista sem paralelo na história. O Garry Kasparov é o mais mediático dos escândalos, mas muitíssimos anónimos defensores de uma verdadeira democracia a todos os níveis são presos diariamente de uma forma arbitrária.Já repararam que os antigos membros do PCUS que estão activos na politica,não são presos e incomodados? Faço votos para que algo de minimamente significativo aconteça hoje nas eleições russas.