segunda-feira, 7 de junho de 2010

Porteiros

"Polícias no Bairro Alto, porteiros no Cais do Sodré", tinha escrito eu nos comentários a este post sobre casos de violência policial. Nem de propósito, uns dias mais tarde, soube-se que os membros de uma banda americana, os No Age, vindos a Lisboa para um concerto na ZDB, foram vitimas de espancamento pelo porteiro do Jamaica (aparentemente, o porteiro não deixa entrar americanos, o que, além de xenófobo, é no mínimo imbecil, já que não consta que os turistas americanos sejam propriamente uns pés-rapados). No seguimento, o I publicou esta notícia, dando conta de alguns dos inúmeros casos que aqueles que frequentam a zona estão fartos de conhecer. Mas há algo de interessante na notícia: fica-se a saber que os porteiros do Jamaica, Music Box e Europa são membros da mesma empresa de segurança, a GOS. Isto explica porque estes "seguranças" gostam tanto de jogar em equipa (um conhecido meu, depois de um problema no Europa, acabou espancado por cinco porteiros - cinco! - dos três bares. Note-se como cumpriam com zelo a sua função: cinco armários a bater num tipo de constituição normal). Mas pelo menos fica-se desde já a saber a quem pedir responsabilidades se um destes dias formos nós as vítimas desta meia-dúzia de acerebrados.

4 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

O Jamaica ainda está aberto? quem frequenta esses sítios merece todos os golpes que lhe derem (que sejam mais do que 400).

André Carapinha disse...

Nem toda a gente que por lá passa sabe ao que vai (e geralmente são esses que levam porrada).

Táxi Pluvioso disse...

Então devem levar 400 golpes + 1 para passarem de Truffaut a Peckinpah...

André Carapinha disse...

De facto algumas cenas na zona são dignas de um Peckinpah...