sábado, 20 de outubro de 2007

A outra ruptura de Sarkozy

Tendo a ambição de perseguir o mito de J-F. Kennedy, e mulher, Sarkozy ficou tão frenético com a Presidência da República francesa que, em cinco escassos meses, aceitou o divórcio de uma manequim subtraída a um animador de rádio super-popular. A "peoplização" da vida política francesa atinge o clímax: qual será a nova dama de França, a breve prazo?
Prova mais do que provada: os bons jornais alertaram, há mais de duas semanas para a iminência da consumação do divórcio do Pr. todo-poderoso de França, a quinta potência mundial e país-chave na Europa, dêem lá as voltas por onde derem e quiserem...A coisa serviu de "indirectas" cheias de charme e bom gosto ao grande semanário satírico e político, Le Canard Enchainè: "toda a gente anda à procura de Cecília", titulava, em sucessivos cartoons de Cabu, Kerloux e& Cia. Depois, o Liberátion tomou o comando da expertise, sendo diário é mais fácil, e começou a fazer fogo sobre a eventualidade de uma ruptura judicial no casal. Num artigo publicado no Le Parisien, Dominique Rousseau, clicar aqui para ler, recorda que, por imperativos constitucionais, Cecília teve que aguardar pela aceitação de divórcio da parte do Pr., por efeitos de uma escandalosa imunidade total assegurada pela revisão do Estatuto penal do presidente, efectuada em Fevereiro do corrente ano. Além disso, o especialista em Direito da Universidade de Montpellier revela que casos de divórcio, em instância de Rei ou Pr., só existiu um longínquo com Napoleão. Michel Rocard, quando era PM assumiu o divórcio, no final dos anos 90. O que tem piada nesta história, prende-se com o facto de Sarkozy ter andado a vilipendiar o espírito de "Maio 68", com bravatas sinistras e de muito mau gosto, associando o facto histórico com o " mal da sociedade, da vida e da família", tornando-se, sem o querer, em mais uma vítima da pressão libertadora do Poder feminista e emancipador...das mulheres. Pascal Bruckner, o escritor pró-sarkozista de alta voltagem, bem dizia que os Sarkozy tinham muito do espírito de Maio 68...E os jornalistas do NY Times deram conta do imenso nervosismo do Pr. francês, aquando da grande entrevista realizada no Palácio presidencial, há cerca de duas semanas...


FAR

11 comentários:

Anónimo disse...

Esta cena- à la feydeau...- emocionou toda a Europa. Sarkosy desencadeou todas as suas habilidades e pressionou q.b Cecília. O espírito de Maio 68- que ele disse aniquilar pela sua eleição- virou-se contra o feiticeiro: a insofrida Cecília apaixonou-se há dois anos por outro homem, desapareceu com ele durante cinco meses e, por causa dos cerrrados jogos das Presidenciais, " aceitou " de fazer o papel( a cama era àparte...) com o Nicolas. Parece que ele anda, já, a chorar baba e ranho pelos cantinhos do Palácio...Há grande espírito de Maio 68: elegeu filho de emigrante e proporciona-nos esta saga folhetinesca abracadabrandesca com a legítima esposa do PR a fugir com o amante e a " representar " papel " de primeira dama...Melhor não há no Mundo!!! FAR

Táxi Pluvioso disse...

Ser cocu em França é normal. Mas como Sarko, não é francês, terá dificuldade para aceitar um arranjinho au français avec des champignons. E dará muito trabalho aos serviços secretos, proxenetas por tradição, em chercher la femme, pois um presidente ami des américains não engata no Bois de Bologne, ainda se engana e traz um brasileiro para o paddock do Eliseu.

Muita estrada terão de percorrer os franceses para chegarem a essa tal potência mundial. Muitos pavés terão de engolir para terem voz no mundo. O mundo mudou. Agora os portugueses estão na dianteira da humanidade. Com a nossa basílica da Santíssima Trindade, como potente dínamo, motor móvel, emitindo benignas radiações, damos cartas valiosas. Voltamos ao esplendor do século XVI. Voltamos aos bons velhos tempos dos achamentos. Achamos o Tratado da Europa e a procissão ainda vai no adro.

Para ser potência é preciso inteligência, que pode ser testada num banal Stanford-Binet ao povinho, ou na produção dos seus intelectuais – a produção intelectual francesa é la chienlit, óptima para vender no Euromarché, mas para ler é preferível importar do Tuvalu ou dos Camarões – ou então, nas suas aptidões bélicas. Qual foi o povo que construiu a linha Maginot? A linha fortificada de defesa de fronteiras mais eficaz antes da descoberta das peças Lego.

Note-se quem também é francês:

Two curious political relationships of Senator Barack Obama came to light last month in The Chicago Sun-Times: he is an 11th cousin to President Bush, and a 9th cousin once removed to Vice President Dick Cheney. The Bush-Obama ancestors are Samuel and Sarah Soole Hinckley of 17th-century Massachusetts, The Sun-Times wrote; the Cheney-Obama ancestors are Mareen and Susannah Duvall, 17th-century immigrants from France.

Anónimo disse...

Apoiado: "a produção intelectual francesa é la chienlit, óptima para vender no Euromarché". E ainda há quem perca aqui tempo com o Lacan, entre outros.

Anónimo disse...

48 Horas apòs o inconcebível comentário do Mister Anónimo, que toda a gente imagina quem é, useiro e vezeiro em disparates e inveja supina,o NY Times do Week- End trazia um suculento artigo sobre o divórcio, onde Cecília, transcricao do L'Éste Republicain, de Nantes ou Rennes... sublinhava, que se " tinha apaixonado, há quase dois anos, e por isso acabou com o Nicolas ". Nicolas que sumou pontos em Lisboa, negociando e tentando impôr Blair como presidente permanente da EU, o que seria o máximo dos cinismos e das hipocrisias...O sr. Anónimo caiu numa inacreditável: Sarkosy nao tinha nada a ver com Lacan, nunca precisou de consultas psicanalíticas( como o Giscard d'Estaing...) e acabou por ser vítima da sua pesporrência e machismo...FAR

Anónimo disse...

Estamos perfeitamente de acordo, em certos pontos. Efectivamente, "Sarkosy nao tinha nada a ver com Lacan, nunca precisou de consultas psicanalíticas( como o Giscard d'Estaing...) e acabou por ser vítima da sua pesporrência e machismo". Mas isto não invalida as críticas que aqui têm surgido acerca do Lacan e de certos imbecís "pósmodernistas". Conviria porém distinguir o Lacan, psiquiatra competente, do Lacan "literário" que foi colocado num altar por umas escassas centenas de discípulos acríticos.

Anónimo disse...

Porra, que já não se pode ser corno !

ana cristina leonardo disse...

Cecilia, you're breaking my heart
You're shaking my confidence daily
Oh Cecilia, I'm down on my knees
I'm begging you please to come home

Anónimo disse...

Estou a ficar taralhouco: Sumou não existe; quatro línguas em melting-pot dá nisto... É somou...coisa que, o Nicolas, se ufanava de fazer aquando do tirocínio para super-quadro no partido da maioria presidencial de Chirac: ele " somava " as meninas/ conquistas na sua agenda pessoal, conforme o F-O. Gisbert escreveu no célebre livro sobre a Tragédia do antigo PR...Adelante.FAR

Anónimo disse...

Falta este pormenor:Houve um cartão Visa a circular nas mãos da Cecília, aquando da curta e agitada passagem desta pelo Palácio do Eliseu. Tudo controlado pelo Nicolas: caminhas separadas e dinheiro solto para Madame- HÁ ESPERA DO oH TEMPO VOLTA PARA TRÀZ!.Há, aqui, contradições sem pinta nenhuma da parte da " soixante-huitarde " Cecília...FAR

Anónimo disse...

Coitadinha da Cécilia María Sara Isabel Ciganer-Albéniz que tinha apenas dez anitos em Maio de 1968! Ela vai festejar 50 risonhas Primaveras no próximo dia 12 de Novembro.

Anónimo disse...

Your blog keeps getting better and better! Your older articles are not as good as newer ones you have a lot more creativity and originality now keep it up!