segunda-feira, 24 de maio de 2010

(Mais) um esclarecimento, que se espera o último

Compreendendo a posição do Armando, até por motivos que são conhecidos de quem com ele priva, permito-me discordar (e também concordar, já lá vamos). Não, ela (e tu), não tem razão. A calúnia e o insulto anónimos não o são menos por ser anónimos (pelo contrário, são muito mais condenáveis). Também não são menos graves por não me serem directamente dirigidos, e sobretudo quando pretendem atingir amigos meus (são como família, como já tive oportunidade de afirmar). Ora quem, como eu, acompanha blogues há mais de seis anos, e nunca publicou um comentário anónimo em qualquer um (e isto inclui alguns inflamados, que a carne é fraca), tem uma grande dificuldade em entender pretensas indignações - que na verdade, e como se viu, não passam de manipulações - daqueles que cobardemente escondem a cara enquanto insultam a seu bel-prazer. Tenho muito orgulho em assumir o meu nome, mesmo quando ajo menos bem, e não conheço outra maneira de ser. E com certeza que admito que perdi a verve em certos momentos. A carne é fraca, lá está, e resistir a provocações nem sempre é possível. Lamento pela forma, que não pelo conteúdo, e sobretudo por este desenlace.
Continuo no blogue, com a forte esperança de que o Armando um destes dias regresse, quando a poeira assentar.

2 comentários:

Anónimo disse...

Será o fim da novela mexicana?

Táxi Pluvioso disse...

Pelos vistos sim.