segunda-feira, 3 de maio de 2010

De como um editorial do DN passa do óbvio e consensual à mais despudorada defesa de uma política de direita

De como um editorial do DN passa do óbvio e consensual (O acordo grego é central para Portugal) à mais despudorada defesa de uma política de direita, com o exemplo de Rudolph Giuliani e tudo

Puni-los como criminosos

Sendo verdade que já não são crianças, a verdade é que ainda não são adultos. E o que é mais surpreendente nos números revelados pela edição de hoje do DN (pág. 16) é a taxa de reincidência em jovens até aos 21 anos no que à criminalidade violenta diz respeito.
De acordo com os dados agora conhecidos, há 153 reclusos com idades dos 16 aos 21 anos nas cadeias portuguesas, condenados a prisão efectiva pela prática de crimes graves. As autoridades asseguram que, na sua maioria, estes jovens são reincidentes. Assusta, só de pensar, a ideia de que, apesar da pouca idade, estes jovens já traficaram droga, agrediram, roubaram, violaram ou até mataram.
(…)
Mas a questão é muito simples: a taxa de reincidência destes jovens só acontece porque, quando "julgados" pela prática de crimes menos graves, acabam libertados, seja pela falta de antecedentes criminais seja, na maioria das vezes, devido exactamente à sua "tenra idade". Perante isto, consideram--se inimputáveis, acham que o sistema não funciona e que, por mais atrocidades que cometam, nunca vão ser apanhados.
É verdade que o tema está gasto e a tese bastante glosada. Mas, quando uma estratégia é boa vale, sempre a pena recuperá-la e repeti-la. O antigo mayor de Nova Iorque Rudolph Giuliani decidiu criar a teoria das "janelas partidas", isto é, punir, por mais jovem que seja o delinquente, e por mais pequeno que seja um delito. Para que aquele que parte um vidro hoje em adulto não se torne um assassino. É o que é preciso ter a coragem de fazer por cá. Sem demagogias ou falsos paternalismos.

Diário de Notícias, 3/04/2010

Sem comentários: