quinta-feira, 20 de maio de 2010

Gente de cabeça erguida (1)



Dedicado a "Anónimos" cobardes e delatores. Na esperança sincera de que algum dia entendam o que diz esta canção da grande Mercedes Sosa.

Comprovando, mais uma vez, que do caos nasce a luz, aproveita-se a triste intervenção do(a) ex-anónimo(a) para inaugurar uma série sobre alguns daqueles que, ao contrário dele(a), entendem que a vida é algo mais que satisfazer pulsões mesquinhas e vaidades medíocres.

2 comentários:

JF disse...

Oh pá... por favor, sr. anónimo...
não acha que está a ser chato?
O pessoal quer é divertir-se, c'um
carago! Se tem alguma questão para resolver, fale pessoalmente com o André. Não tinha nada que me estar a meter nisto, mas é uma chatice ter que o aturar, sabe!? Saudações.

Táxi Pluvioso disse...

Nada disso! A vida é "satisfazer pulsões mesquinhas e vaidades medíocres", basta ter um conhecimento por alto da História de Portugal, ou ir dar uma volta pela rua e conviver com o povo da primeira globalização.