domingo, 9 de maio de 2010

Arreda Canalha Totalitária


Deixem-me puxar dos galões

Não são os da tropa que não frequentei. Mas ainda andava eu no Liceu António Enes, com o Luís Carlos Patraquim, o Victor Nogueira Pereira e mais uns quantos, quando lançámos um jornal, O Progresso. Mais tarde, já a frequentar a Universidade, ainda em Moçambique, com a Joana Pereira Leite, o José Luís Faria e, salvo erro, o Castro Guerra, foi a vez de O Manifesto. Em 1976, em Évora, estava num comando internacionalista, mais o José Pinto de Sá, a Dot e o Marciano, a lançar um dazibao, afixado no Arcada, com o sugestivo título Arreda Canalha Totalitária.
O O Progresso acabou com a interferência da extrema-direita universitária moçambicana, na altura liderada pelo Mesquitela e pelo Martinez. O O Manifesto fechou porque os dirigentes da Frelimo entenderam que só eles podiam falar de Marx. A Canalha Totalitária não arredou. Sou de esquerda e prefiro o Sócrates ao Coelho. Vivo com qualquer deles. Já se triunfar a Canalha Totalitária vou ter que emigrar. Antes contem comigo para combater a canalha.

(A propósito do que leio nos blogues)

4 comentários:

Anónimo disse...

Talvez neste...?
Já agora, cheira que tresanda a escola totalitária lançar tiros para o ar sem baptizar os pardais. É que a suspeita fica a pairar sobre tudo e sobre todos e nem será preciso lembrar que foi assim que o estaline fodeu a rússia

Armando Rocheteau disse...

O anonimato chateia-me e Estaline não foi o único a foder a Rússia. Dito isto:
O trio do Cinco Dias, Carlos Vidal, Renato Teixeira e Tiago Mota Saraiva, merece destaque. Seria deselegante fazer o post e não remeter, com link, para os post mais ilustrativos.
Também os bloggers do género "Vamos Fazer Justiça" deviam ter o seu relevo.
Estou a atingir o limite da minha conta de acesso à net. Tem de ficar para a próxima.
Neste blogue citar-se o Agostinho Lopes sobre a crise faz-me confusão. Mas os benfiquistas são assim. Deixemos que passe a festa.

André Carapinha disse...

Mas e quanto ao que diz o Agostinho Lopes?

Anónimo disse...

Não percebi bem esta "piquena" polémica. O homem dos galões está com medo que venham aí os russos? Bom, é que mesmo que viessem, eles agora já não são canalhas totalitários (nessa versão, só se for na coreia do norte que já nem a china acredita no homem novo). E isto apesar do Putin me lembrar mais o estaline do que o sócrates ou o coelho. estes dois por acaso o que me lembram é o pitta (isto foi uma associação extemporânea por causa do putin só com um t).
quanto ao anonimato, o homem dos galões devia perceber depois de todas as terríveis perseguições a que esteve sujeito. mais vale jogar pelo seguro que nunca se sabe do que a frelimo é capaz...
E o Agostinho Lopes, quem é? Algum esquerdalho amigo do andré carapinha?