terça-feira, 27 de abril de 2010

Análise crítica de uma análise crítica

O blogue Cinco Dias é um histórico que albergou, e ainda alberga, gente muito respeitável. Contudo, ultimamente tem servido de pousio a determinadas personagens cuja companhia intelectual muito pouco se recomenda. O maior de todos, sem dúvida, um controleiro de nome Carlos Vidal, aliás um figurão (infelizmente) conhecido de alguns outros carnavais. Não há espaço aqui para uma descrição detalhada de todas as alarvidades já lá escritas pelo estalinista controleiro. E eu, como tem notado os leitores, também não tenho estado muito dado a escrever, seja sobre política seja sobre outros blogues.

Acontece que me saltou a tampa com este post. O controleiro aqui revela-se em todo o seu esplendor. Em relação à esta canalhice alarve, a que chamamos “post” por falta de termo mais adequado, apraz-me só dizer isto:

1 – Uma democracia determina-se precisamente por não impedir uma manifestação, seja de seis ou de seis mil pessoas, quer a maioria da população esteja de acordo ou não.

2 – Insinuar que os opositores a qualquer coisa são “traidores a soldo do inimigo” é um método que infelizmente conhecemos bem demais, que apenas revela quem o pratica. Além de se tratar de uma falácia deveras utilizada por fascistas de direita ou de esquerda como o nosso Vidal, denuncia enorme fragilidade intelectual, desconfiança no uso da razão, incapacidade em argumentar dentro de um quadro de linguagem a que se chama de “discursivo”, em suma, o pior do defeito a que chamamos, por maioria de razão, de “imbecilidade”.

E quanto à caixa de comentários desse abjecto “post”, há a referir que:

1 – Dizer que Cuba não tem presos políticos, pois isso está mesmo é entre a cegueira e a insanidade completa;

2 – Dizer que Cuba é uma democracia “porque tem eleições” revela a concepção diminuída de democracia que os controleiros estalinistas possuem. O Estado Novo também tinha eleições, e até com algumas semelhanças (havia eleições, o que havia era um partido só). Há que ter a esperança de que algum dia entendam que a democracia é muito mais que eleições. E que se aqui defendemos a democracia é porque defendemos a Liberdade, e ainda não encontrámos forma melhor de viver em Liberdade que aquela que se consubstancia numa organização política democrática.

8 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

Cuba ainda não tem McDonald, mas tem Porno Para Ricardo e that's enough (como dizem na Wall Street).

Anónimo disse...

O sr. carlos vidal
é um doente mental.

Anónimo disse...

Juro que não fui eu quem disse

Anónimo disse...

Cá para mim, esta reflexão incontornável sobre cuba o que pretendia era fazer subir o sitemeter à custa do esquerdalho vital, ou será vidal?

Carlos Vidal disse...

O que diz é correcto: chamar-me controleiro e estalinista, ainda admirador de Estaline, certo, é correcto.

Agora acrescentar que eu sou infelizmente conhecido de "outros carnavais" já é mais problemático. Muito problemático mesmo.
A que se refere?

Ou seja, sobre o que escrevo no "5dias" aceito todos os comentários ou insultos. Já sobre outras minhas actividades, terá de ter muito mais cuidadinho.
Isso é certo.
Repito: de onde me conhece e a que se refere?

Anónimo disse...

de algum carnaval que passaram os dois em Cuba, pergunto eu que não sou de intrigas?

André Carapinha disse...

Carlos Vidal:

Não vou estar aqui a contar pormenores da minha vida pessoal (nem da sua, aliás, pois seriam igualmente necessários), sobre os carnavais em causa.
Numa coisa terá razão, de facto de onde o conheço é irrelevante para o que aqui está em causa. Sendo consigo, contudo, e tendo em conta o historial de ataques pessoais ad hominem que tem produzido, quase que nem me apetece ter escrito o que agora escrevi.

Anónimo das 5:42 PM:

Claro que isto foi tudo para fazer disparar o sitemeter. Aliás, a grande obsessão da minha vida é a de fazer disparar este sitemeter, e nem durmo bem nas noites que se seguem aos dias em que não o consigo fazer.

Anónimo disse...

andré carapinha, insone, lança uma campanha negra sobre carlos vidal. o sitemeter dispara mas a montanha pariu um rato. não há carnaval nem comissão de inquérito.
ainda bem que não estamos em cuba.