sábado, 17 de abril de 2010

O escândalo dos "estágios"

Há dúvidas de que Portugal é uma autêntica República das Bananas? Vejam o exemplo dos "estágios" profissionais não-remunerados, ou remunerados apenas em "ajudas de custo". Já foi dito e redito por toda a gente que estes "estágios" são claramente ilegais, não passando de formas encapotadas de trabalho de graça ou quase. Já houve, até, um site de anúncios de emprego (e um dos mais prestigiados) que declarou que recusava anunciar este tipo de "estágios", por não pretender violar a lei. Mas o que se passa, entretanto, no mundo real? Acaso acabou, ou mesmo diminuiu, esta forma desumana de escravatura moderna? A Inspecção-Geral do Trabalho abriu inquéritos, participou, denunciou, autuou (e era tão fácil, bastava fazer de conta que se procura um emprego)? Claro que não. Continua tudo na mesma - é ilegal? É. Mas pode fazer-se? Pode.

É óbvio que a minha indignação selectiva tem por mote alguém muito querido estar neste preciso momento a passar por esta via-sacra. Só quem passou por isso poderá imaginar a frustração que é trabalhar sem receber nada, e ainda por cima ter a certeza absoluta que é isso mesmo que se tem de fazer para singrar em determinada área profissional.

1 comentário:

Táxi Pluvioso disse...

Upa, upa, o Mexia (o nosso fotógrafo também) começou assim.