domingo, 16 de outubro de 2011

Por uma alternativa internacional e universal

Hoje dizem nos que a alternativa do PCP consiste em criar um projecto soberanista e patriótico.
Desde logo, a contradição entre a construção de um projecto patriótico e soberanista contradiz o mote dado por Marx and Engels: proletários de todo o mundo, uni-vos. Ignora uma vez mais que um projecto patriótico nacional entrará inevitavelmente em conflicto com o interesses dos trabalhadores doutros países. Esta contradição será explorada pelo grande capital em seu próprio proveito através do incitamento aos interesses particulares das classes trabalhadoras de cada país. Em vez de fomentar a união dos trabalhores, os projectos soberanistas e patrióticos apenas irão aumentar a divisão entre os trabalhadores e enfraquecer a luta pela redistribuição da riqueza ao nível mundial.
A luta nacional dos trabalhadores pela emancipação económica e política não deve ser assim separada da luta internacional. O desafio consiste em procurar os denominadores mínimos comuns entre os trabalhores dos diversos países e articulá-los numa luta conjunta em vez de separada por nações. Enquanto os trabalhadores não travarem uma luta global em contraponto à constante globalização do capital, a derrota será inevitável. O capital possuí a vantagem de ser altamente móvel, enquanto a maioria dos trabalhadores continuam presos ás suas fronteiras. .
Tal como foi proposto no passado, um projecto alternativo ao sistema dominante capitalista tem de ser assente no constante aproveitamento das contradições inerentes ao próprio desenvolvimento do sistema capitalista em vez de usar os métodos do século passado.

A luta nacional só poderá alcançar os seus objectivos quando articulada ao nível internacional, um movimento dialéctico caraterisado por inevitáveis tensões que exigem constante reflexão e novas soluções para as ultrapassar.

Um projecto internacional e universal é o desejado!
Islândia, Grécia, Irlanda, Portugal! A nossa luta é internacional!

Sem comentários: