quinta-feira, 6 de novembro de 2008

I, Too, Sing America

I, too, sing America.

I am the darker brother.
They send me to eat in the kitchen
When company comes,
But I laugh,
And eat well,
And grow strong.

Tomorrow,
I'll be at the table
When company comes.
Nobody'll dare
Say to me,
"Eat in the kitchen,"
Then.

Besides,
They'll see how beautiful I am
And be ashamed--

I, too, am America.

Langston Hughes

(republicado como continuação de uma conversa)

2 comentários:

Anónimo disse...

Muita reconversa...

Táxi Pluvioso disse...

O mundo não tinha pai e Deus, na sua infinita bondade, enviou um, nem mais nem menos, que o pai Tomás. E os bloguistas exultaram e muito justamente cantaram vivas e loas. Bem hajam em Seu nome! Mas o efeito chegou a Portugal e ficaram mudos.

Tenho que dar razão ao FAR que fala em degradação e alienação da realidade. Não vi ninguém congratular os portugueses por serem donos de um Banco. Parabéns portugueses!!! Muitos parabéns!!!!! Acabou, em Portugal ,o tempo das notas magras. A época das notas gordas começou. Parabéns portugueses. Como português estou tão contente, até parece que passei a noite a seguir as eleições americanas.

Ah, e um artigo na Vanity Fair para criticar, construir, desconstruir, ou seja, fazer aquelas coisas francesas do FAR, que eu não conheço.