quinta-feira, 1 de julho de 2010

Ronaldo e Queiroz


Um video da "Cuatro" espanhola sobre o dia menos bom de Ronaldo contra a Espanha. Aos 2 minutos e 10 segundos: "Assim não ganhamos Carlos". Cristiano para Queiroz após a substituição de Hugo Almeida. Até o Ronaldo percebeu; e essa de tratar o seleccionador por "Carlos"...
É óbvio que havia um problema de liderança, de respeito pelas decisões do treinador. Só o mais fanático dos "queirozianos" não vê isto depois de se repetirem os casos e casinhos, as declarações mais ou menos a quente, os recados para dentro e para fora. Voltarei ao tema com mais profundidade, talvez mais logo.

2 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

Qual nada! se o mister não tivesse substituído, a derrota seria por 3-0. Esta é uma afirmação sem sentido para Wittgenstein, discutível nos lógicos de Viena, mas muito verdadeira, quando a afirmo, porque sou luso, logo capaz de discorrer sobre todos assuntos com erudição e absolutas certezas.

Há uma outra afirmação que anda no ar: "se não estivéssemos na UE seria muito pior" - ora só um cérebro muito potente, como o luso, que tranfere terabytes, pode afirmar esta certeza.

O mister usou a golden penis, que tem sempre andado atrás de nós, dando-nos glória na estranja, empurrando-nos para a frente. Temos sempre a golden penis na boca, que ele é lindo e muito joga, e os de Madrid ouviram Xutos & Pontapés, pensando ser alguma banda inglés (para os espanhóis é tudo inglés). O recurso à golden penis não resultou desta vez, o espanhol saiu vivo, mas a esperança é a última a morrer, no próximo Mundial estamos lá para vencer, aliás já está vencido.

Dou graças ao Dr. Salazar que atapetou o chão filosófico que piso.

queiroziano disse...

Consegui recuperar do choque dos "maus ventos" vindos de Espanha com uma conclusão brilhantérrima: os gajos foram superiores (em tudo!) aos navegadortes afundados em egos mal formados, paneleirices, mentiras e representações mal encenadas.
Depois... depois foram (e têm sido!) só entendidos, treinadores de sofá ou de cervejaria, técnicos, analistas, etc., a debitar as maiores patacuadas por todo o lado. Sinceramente... não há paciência para tanta falta de educação e ética!