sexta-feira, 16 de julho de 2010

Comissário de bordo

Quem disse que Portugal é o país dos brandos costumes? Este é o país dos belos costumes. Como não achar belo ao costume de o Paulo Portas aparecer, cavaleiro andante, a sugerir as soluções de governação da nossa pátria? Que tal um governo PS-CDS-e já gora que também tem que ser-PSD, com o nosso messias, o António Vitorino, a primeiro? E o Paulo Portas, convenientemente, a minístro da Agricultura ou de qualquer outra coisa que lhe convenha? Estou ansioso por esta solução que irá colocar na varanda de São Bento o minorca mais (in)competente na difícil arte de deixar tudo como está fazendo qualquer coisa parecer diferente. Foi um comissário europeu cheio de virtudes, a maior das virtudes, para um comissário europeu, é não fazer nada que mude alguma coisa. Está prontinho para herdar esta espelunca, e eu cada vez mais pronto para ir para as ilhas Fiji escrever postas sobre a casa mal governada. Perdoem-me a sinceridade excessiva.

1 comentário:

Táxi Pluvioso disse...

Não, não, Portas gosta do ministério da Defesa. Ele adora aqueles blusões da Força Aérea, ou o pulôveres da Marinha, que o tornam mais sexy que o Timberlake ou o Glucksmann.

Essa figura do Vitorino também era boa, daria bom contributo para afundar o país, tanto quanto a sua firma "advocacional" enriqueceu, mas que venha PP Coelho, estou mortinho por saber quando sairemos do euro e talvez da EU.