terça-feira, 29 de novembro de 2011

assim se faz



Vi recentemente este retrato de acções directas por um grupo de ativistas ambiental (e anti-capitalista e defensor da autonomia e auto-gestão, etc) que elogio pela clareza de ideias, pela crueza da descrição e por conseguir evitar as armadilhas da valorização exuberante de determinado tipo de comportamento; por fazer sobretudo o elogio do conhecimento, conseguindo assim estabelecer os paralelos desejados entre teoria e acção.

Independentemente dos meios de que cada um dispõe, o documentário faz um apelo conciso e despretensioso à desobediência civilizada, explicando estratégias de organização e apontando algumas diferenças entre o que define uma acção e/ou tomada de posição com consequências directas e os problemas que podem advir de manifestações e atitudes que não pretendem chegar a lado algum.

Apesar do filme não ter conseguido ainda distribuição, no seu espaço online é sugerido que a distribuição seja feita livremente nas acampadas de todo o mundo, tal como foi feito em Londres. Legalidades à parte e porque o mais importante é que a mensagem circule, aqui fica um link de acesso marginal. Quem se revir que divulgue!

Laura Nadar

Sem comentários: