terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Marginais VII

Somos os filhos bastardos da História.
Os sem-rosto cujo rosto é uma máscara debaixo de outra máscara. Mãos nuas como armas contra armas cingidas por mãos sujas.
Não nos deixam esquecer. E o nosso perdão terá um parto difícil.
Como gémeos siameses, somos consumidor insatisfeito e produto defeituoso. Amálgama de componentes a tentar regredir ao estado de matéria-prima. Para evoluir de uma forma completamente nova.
Preferimos as sombras às trevas que nos querem impor. A escuridão é a total ausência de luz, é um nada. A possibilidade da luz é o que possibilita as sombras em nos movemos.
Não queremos tudo, mas não nos contentamos com o pouco que nos querem tirar.
Somos os filhos bastardos da História. Somos os seus herdeiros. E estamos aqui para reclamar o que é nosso.

Sem comentários: