quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Alain Robbe-Grillet, o primor da mise-en-scène




Talvez mais facilmente reconhecido como o guinista do "L'année dernière à Marienbad" (1961), realizado por Alain Resnais, Alain Robbe-Grillet é a excelência da mise-en-scène.

"L'éden et après" (1970) é um filme mas também uma experiência da ordem psicanalítica (como era a estrutura do espaço em Marienbad). Nesse sentido, queira o espectador entregar-se ao momento e pode dar-se a uns segundos de catarse. 

Passado no universo do faz-de-conta e das possibilidades, aqui e ali tende a escalar para o lugar dos sonhos, dos desejos mortais, assim confrontando-nos com a autenticidade dos nossos impulsos.

Como quase sempre, corporiza o medo e erotiza o desejo, envolvendo-os com a mestria da forma. Em "Léden et après" o mundo pertence à arte, desde a arquitetura às performativas, percorrendo uma série de movimentos dentro das belas-artes. Pela pluralidade e acutilância do discurso, este é um filme que todos deveriam ter a oportunidade de ver.

2 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

Ah! quando oiço falar de belas-artes lembro-me logo de Portugal, que todos erradamente associam a pastel de bacalhau e fado, não! belas-artes é o nome do meio de Portugal.

BOM ANO para all.

Kaos disse...

Sei que os tempos não estão para grandes optimismos mas o futuro pode estar nas nossas mãos se soubermos exercer os poucos direitos que ainda nos restam. Aqui deixo o meu desejo de um 2012 tão bom quanto o possível.
Kaos
Wehavekaosinthegarden.blogspot.com