segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O Poder e a Crise


Homenagem a Focault.

O Poder é o campo e a fábrica. O Poder é o chicote e a máquina, a jorna e o salário, o crucifixo e o corão, são caravelas em demanda dos infiéis, e são os infiéis. O Poder é Sodoma e Gomorra, Abel e Caim, Moisés e Ramsés, David e Golias. O Poder é a dona-de-casa, é o papá e a mamã, a escola primária, secundária, o Poder é acima de tudo a Universidade. O Poder é o Correio da Manhã e o New York Times. O Poder é a cerveja, o café e o maço de tabaco, são as férias na neve, o BMW e o ecrã de plasma, e o que se vê nesse ecrã de plasma. O Poder é poder.

A crise é o orgasmo feminino.

1 comentário:

Voltaire disse...

Focault? Celui qui est né à Natal?