sábado, 10 de março de 2012

Red Starr

O seu sonho era percorrer os corredores do poder, e vê-los transformados em casas de ópio e prostíbulos de luxo, espreitar através das janelas, e ver os corpos dependurados dos políticos a balouçar sob a acção da brisa da tarde.
Com um cocktail molotov em cada mão, ele e os seus companheiros de revolta levariam a cabo a tarefa de apagar a memória dolorosa de um tempo em que o poder corrompia, e a corrupção governava os destinos de todos.
Deus e a Pátria iriam a enterrar num fim de dia estival, e então a grande Família Humana juntar-se-ia para lhes prestar uma última homenagem, para pouco depois os condenarem ao eterno esquecimento. O fim de dois mil anos de cristianismo, em vez de significar um mergulho nas trevas e o fim da civilização, seria o inicio de uma nova era de harmonia e prosperidade.
Mas enquanto isso não acontecia, Red Starr mantinha-se entretido esfaqueando bófias e incendiando igrejas.

Sem comentários: