quinta-feira, 19 de julho de 2007

Ponte

Da margem esquerda da vida
Parte uma ponte que vai
Só até meio, perdida
Num halo vago que atrai.

É pouco tudo o que eu vejo,
Mas basta, por ser metade,
P’ra que eu me afogue em desejo
Aquém do mar da vontade.

Da outra margem, direita,
A ponte parte também.
Quem sabe se alguém ma espreita?
Não a atravessa ninguém.

Reinaldo Ferreira

3 comentários:

Ana Cristina Leonardo disse...

estou a ficar deprimida

Anónimo disse...

Xanax para cima dessa
depressão. Já!

chinablue disse...

É um prazer abrir este blog e ler uma poesia do Reinaldo Ferreira, conheço-as todas (quase todas)...