terça-feira, 31 de julho de 2007

Tachos - Chapeau, Almerinda...

Eu sempre gostei de púcaros
E de arroz de caçarola
Faço cada cozinhado
De se lhe tirar a cartola.

Tão caros cozinhados são
Aqui por Beverly Hills
Que a grafia se deforma
Até o tão tem dois “tiles”.

Mas cozinhados sublimes
Não em tertúlias reumáticas
Essas – por si morrerão
Por força de doenças asmáticas.

Cozinheira diplomada
Com sete canudos na mão
Cada qual o mais honroso!
Era preciso ser tapada
Tendo eu tão grandes mestres
Não sair da pucarada
Cozinhado que se visse
Se cheirasse, se provasse
Se comesse... até mais não.

E quando mexo a tachada
Com aquela colher de metro
Com o chapéu de bruxa
Como diz uma velha amiga
E que me fica a matar
É a festa desbragada
Tal é a algaraviada.

1 comentário:

Armando Rocheteau disse...

Tu e a Almerinda enchem o meu Verão.
Não são só vocês, para ser verdadeiro.
Abraços