quinta-feira, 3 de maio de 2007

Ser

Chove em Maio e eu olho a chuva que cai.
A lua cheia de Maio fica tapada pela chuva.
Não creio no que escrevo.

Nem tudo o que me sai há-de ser lido.

Distingo - ao menos isso... - entre o que é de dentro e aquilo que hei-de mostrar.

Aos outros peço o que lhes é possível.

Chove em Maio.
Grande novidade para quem já viu relâmpagos em Junho.

Distingo.

E, enquanto for distinguindo, vou sendo eu mesmo.

A saber ser.

Sem comentários: