quinta-feira, 3 de maio de 2007

Parecer

Deixo-me embalar por uns compassos vagos...
parece que sou
pareço-me
pereço
e nunca estou.

Preces
preços
imprecações.

Pareço

Não apareço

Ponho um preço

tão alto que nunca o alçanço
e canso
e não me dou descanso.

(Também Ícaro não percebeu que as asas eram coladas com cera...)

1 comentário:

zemari@ disse...

Um poeta para um upgrade de Mad Dog Clarence!?